Observar, Cheirar, Provar: Perguntas Frequentes

Sara Sousa

2 months ago

Encontra aqui as respostas a perguntas frequentes relacionadas com a iniciativa sobre prazos de validade da Too Good To Go: Observar, Cheirar, Provar.

Sobre a iniciativa


Em que consiste a iniciativa? E quais os seus objectivos?

A iniciativa Observar, Cheirar, Provar tem como objectivo a sensibilização e educação dos consumidores sobre os prazos de validade dos produtos com data de durabilidade mínima. Nesta iniciativa, a Too Good To Go criou parcerias com diversos produtores de alimentos, que se comprometeram a adicionar o selo Observar, Cheirar, Provar às embalagens de alguns dos seus produtos.

O objectivo desta alteração é acrescentar um elemento visual ao rótulo existente que incentive os consumidores a utilizarem os seus sentidos antes de descartarem os alimentos de durabilidade mínima depois de expirado o prazo de validade.


Porquê o nome Observar, Cheirar, Provar?

O nome da campanha reflecte aquele que é o apelo feito ao consumidor - que use a visão, o olfacto e o paladar para determinar se um alimento com data de durabilidade mínima pode ser consumido. É um teste simples que visa reduzir o desperdício de alimentos.


Porque é que esta iniciativa é necessária?

Muitas pessoas acabam por deitar fora alimentos que ainda estão em boas condições de consumo, por não fazerem uma avaliação que vai para além da leitura do prazo de validade indicado na embalagem.

No caso dos produtos com data de durabilidade mínima, muitos desconhecem que a data é meramente indicativa. Isto significa que, após expirado esse prazo, o produto ainda se encontra em condições de ser consumido por um determinado período de tempo - muitos podem até ser consumidos semanas ou meses após a data indicada.

Acreditamos que um consumidor mais bem informado é um consumidor mais capacitado para combater o desperdício alimentar, neste caso passando a utilizar os seus sentidos para tomar uma decisão, antes de desperdiçar comida ainda boa para consumo.


Quanta comida é desperdiçada devido à má interpretação dos prazos de validade?

Na União Europeia, 10% do desperdício alimentar - cerca de 8,8 milhões de toneladas de comida - está relacionado com as datas de validade dos alimentos. Quando consideramos apenas o desperdício alimentar doméstico, a percentagem sobe para 20%53% dos consumidores da União Europeia não sabe a diferença entre rótulos de validade.


Que marcas aderiram a esta iniciativa?

Tanto produtores locais como internacionais juntaram-se à Too Good To Go nesta iniciativa em Portugal. Em Abril de 2021, contamos com a participação das seguintes marcas: a A Vaca que Ri e a GoGo SqueeZ (ambas marcas da BEL), Diese (F.Lima), Beesweet, Lacticínios das Marinhas, Branca de Neve e Espiga (Fábricas Lusitana), Ferbar, Montiqueijo, Saborosa (Officetotal), Pantagruel (Imperial), Hellmann's, El Mandarin e Quinta de Jugais.


Em que produtos é que posso encontrar este selo?

A campanha é dirigida a produtos com data de durabilidade mínima. Cada parceiro seleccionou um ou mais destes produtos do seu inventário, a cujo rótulo vão adicionar o selo Observar, Cheirar, Provar.

Os produtos de cada parceiro que vão passar a exibir este selo, assim como a data prevista para os rótulos alterados começarem a circular no mercado, podem ser consultados aqui.


Qual a duração desta iniciativa?

O lançamento oficial da iniciativa acontece em Abril de 2021, mas não tem um fim determinado. Queremos criar o maior impacto possível no combate ao desperdício alimentar e, por isso, esperamos conseguir depois do lançamento que ainda mais parceiros se juntem a nós

Acreditamos, também, que só através de colaboração e comunicação contínua com o consumidor vamos conseguir mudar percepções e comportamentos, pelo que é fundamental continuar a partilhar esta mensagem.


Porque é que a Too Good To Go lançou uma iniciativa que não está relacionada com a sua aplicação?

A missão da Too Good To Go é inspirar e capacitar todas as pessoas a combater o desperdício alimentar. Para além da aplicação, centramos a nossa acção em vários pilares: agregados familiares, negócios, educação e políticas. Só assim poderemos criar o impacto que pretendemos.

Embora já consigamos salvar uma refeição por minuto com a ajuda dos utilizadores da nossa aplicação, sabemos que podemos fazer mais. Desta forma, esta campanha não é um projecto paralelo àquilo que já fazemos mas, antes, mais um pilar de acção para a realização da nossa missão.


Sobre as diferentes datas de validade

O que são datas de validade?

A data de validade é uma etiqueta legalmente exigida que os produtores de alimentos têm que imprimir em determinados produtos. Até essa data, a comida tem a garantia de estar boa para consumo, sem que se verifique nenhuma perda de qualidade (desde que o produto tenha sido conservado nas condições exigidas na embalagem).


Qual é a diferença entre os prazos de validade em Portugal?

Para conheceres os diferentes prazos de validade em Portugal, lê este artigo.


Que alimentos ainda posso consumir depois de ultrapassada a data de validade?

No que diz respeito aos alimentos com data de durabilidade mínima, uma avaliação sensorial como aquela que apelamos com esta campanha - observar, cheirar e provar uma pequena porção do alimento - pode ajudar a determinar se um produto ainda pode ser consumido depois de ultrapassado o prazo de validade.


Posso realmente confiar nos sentidos para determinar o estado de um produto?

Nenhum método é infalível mas, regra geral, um teste sensorial pode ajudar a determinar com segurança se um alimento está bom para ser consumido. Se o sabor, o cheiro, ou a consistência do alimento se tiver alterado, ou não corresponder à normalidade, é fácil de perceber porque os nossos sentidos reagem com desagrado. Podemos assim fazer uma avaliação mais sensata das condições destes produtos e evitar o desperdício.

No entanto, no caso dos produtos "Consumir até", o prazo de validade deve ser cumprido com atenção. São produtos especialmente sensíveis e por isso, quando ultrapassam o prazo de validade, e mesmo que passem um teste sensorial, não devem ser consumidos, uma vez que podem representar um verdadeiro perigo para a saúde.


O que significa “conservar os alimentos nas condições correctas”?

A forma como cada alimento deve ser conservado depende das suas características próprias e por isso devemos seguir as indicações dadas na embalagem.


Os alimentos fora de validade ainda podem ser vendidos em Portugal?

Num comunicado lançado em 2018, a DGAV - Direção Geral da Alimentação e Veterinária - (Esclarecimento Técnico nº8) declara que: “um género alimentício não perecível pode continuar a ser comercializado após o términus da data de durabilidade, desde que o consumidor seja informado e desde que o operador económico esteja em condições de garantir que o produto corresponde às características gerais de legislação alimentar e em particular as relativas à sua segurança”.

Desta forma, legalmente, os produtos de durabilidade mínima podem continuar a ser vendidos após expirar o prazo de validade. No entanto, o consumidor deve ser informado claramente sobre o prazo de validade expirado, e o vendedor tem que ser capaz de garantir que estes alimentos podem ser consumidos sem qualquer risco para a saúde. Como falamos de produtos ainda selados, esta garantia de qualidade acaba por se tornar difícil de determinar, e por esse motivo (e outros em acréscimo) esta prática ainda não é muito comum no nosso País.

Visita o site da iniciativa aqui.

Sara Sousa

Marketing Specialist